Blog

Com a tradução consagrada de Raul de Polillo, versão integral de O Decamerão chega às livrarias em box com dois volumes

01/11/2018
Com a tradução consagrada de Raul de Polillo, versão integral de O Decamerão chega às livrarias em box com dois volumes

“O que escrevo são coisas contadas, em dez dias, por um grupo honrado de sete mulheres e três moços, na época pestilenta da passada mortandade levada a cabo. Acrescentam-se algumas cantigas das mulheres antes referidas, cantadas a seu gosto. Nas mencionadas novelas, aparecerão casos de amor. Uns serão desagradáveis; outros escabrosos. Registrar-se-ão outros acontecimentos felizes, ocorridos tanto nos tempos modernos, como nos antigos.”

 Giovanni Boccaccio, no Proêmio de O Decamerão

Giovanni Boccaccio é considerado uma das grandes vozes do Renascimento italiano – ao lado de Dante e Petrarca – e, com O Decamerão, que inaugurou a prosa de ficção ocidental, foi capaz como poucos de canalizar um manancial de narrativas em uma estrutura complexa, mas ao mesmo tempo acessível e atrativa. As cem histórias desta obra monumental são lançadas agora pela Nova Fronteira em versão integral e com a tradução consagrada de Raul de Polillo.

 

Escrito entre os anos de 1348 e 1353, O Decamerão (do grego, “dez dias” ou “jornadas”) traz pequenas novelas que versam sobre diversos assuntos mundanos, no característico estilo realista de Boccaccio. Na primeira jornada, o autor narra o encontro de sete mulheres e três homens numa igreja de Florença, na época da peste negra que assolava a Europa. Pampineia,  Fiammetta, Filomena, Emília, Laurinha, Neifile, Elisa, Pânfilo, Filóstrato e Dioneio  fugiam dos horrores da pandemia que dizimava a população e decidem se refugiar num palácio em região afastada da cidade, levando com eles alguns empregados. Juntos,  determinam as regras de convivência a partir dali.

Pampineia então propõe que todo dia eles se reúnam depois do almoço numa área externa para ouvir música, dançar e contar histórias. A cada dia, um integrante do grupo será considerado líder e escolherá um tema para os contos que serão narrados por cada um. No primeiro dia, Pampineia diz que o tema será livre. E assim vão se passar as dez jornadas.

 

“As novelas de O Decamerão apresentam os mais diferentes tipos de narração; vão do conto complexo, rico de enredo, à simples ane­dota e à piada; obedecem às mais variadas inspirações, do cômico ao trágico, do burlesco ao heroico; tratam dos mais diferentes assuntos. Tanto é assim que nelas se reflete toda a sociedade contemporânea, nos seus múltiplos aspectos, do plebeu ao cavalheiresco, da burguesia culta àquela exclusivamente mercantil”, enumera o crítico literário italiano Edoardo Bizzarri na introdução do livro.

Traduzida para o português moderno, a obra-prima de Boccaccio, ao se desprender da moral medieval e abrir caminho rumo ao realismo, tornou-se um marco singular na literatura e uma fonte de influência para luminares como Shakespeare e Cervantes, além de muitos modernos que vieram posteriormente.

Já nas livrarias. Compre o seu aqui.

 

Palavras-chave

O Decamerão
Giovanni Boccaccio
Literatura italiana
Clássicos
Boxes
Nova Fronteira